terça-feira, 30 de setembro de 2008

O preço do conhecimento

Há alguns dias venho passando por uma certa crise. Como eu sempre estudo ministérios dos mais diversos tipos, acompanho cultos, pregações e pessoas nas igrejas, tenho observado a situação desgastada da igreja evangélica na sociedade atual. São tantas pessoas enganando e tantas pessoas querendo ser enganadas dentro das igrejas! Se prega um evangelho de felicidade, no qual o único objetivo de seguir a Cristo seria a sua própria felicidade, quando a verdade não é bem essa. E a igreja não procura ensinar às pessoas; ao contrário, a grande preocupação da maioria das igrejas é a de como limitar o que seus membros têm conhecimento. As pessoas que começam a ter um entendimento mais amplo e enxergar os erros, começam a ser executados, execrados e removidos do “meio evangélico”.
Comecei a me questionar sobre a validade de se ter um conhecimento mais amplo; eu não era mais feliz quando não enxergava esses erros nas igrejas? Sim, era. Eu era muito mais feliz quando inocente; não tinha o peso de conhecer nem o dilema de, uma vez conhecendo, de os tornar públicos ou não. Salomão nos mostra o peso do conhecimento:

“Apliquei o coração a conhecer a sabedoria e a saber o que é loucura e o que é estultícia; e vim a saber que também isto é correr atrás do vento.
Porque na muita sabedoria há muito enfado; e quem aumenta ciência aumenta tristeza.” (Ec 1:17,18)


Conhecer os reais defeitos da igreja e querer anunciá-los no intuito de promover uma reforma silenciosa só tem me trazido enfado e tristeza. Tristeza pela constatação de que o evangélico atual não quer aceitar o próprio erro; ele prefere estar acomodado sobre um evangelho que visa o seu próprio bem pessoal em detrimento a um evangelho dedicado ao próximo. A arrogância, o culto ao ego e o orgulho das pessoas têm sido cultivado dentro das igrejas. Afinal, se você pode decretar vitórias e exigir bençãos provindas de Deus, quem seria capaz de dizer que o que fazes é errado?
Saudades de quando eu era néscio. Eu não era cobrado já que eu não conhecia. Hoje, se me calo, me torno cúmplice do vandalismo que certos líderes religiosos fazem com o evangelho. Não quero ter, em minhas mãos, o sangue das pessoas enganadas com falsas promessas sobre os púlpitos.

Por René Vasconcelos

www.papodeteologo.gospelmais.com.br

8 comentários:

Agnaldo Gomes disse...

Isso realmente nos traz inquietações diversas.
Realmente a situação atual da Igreja nos leva à angustias profundas.
Que o Senhor nos dê sabedoria para passarmos imunes por tantas situações que vivemos hoje dentro da Sua Casa.

james disse...

Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo, irmão Junior.

Louvado seja o SENHOR que nos dá entendimento e nos revela tudo o que podemos estar notando e testemunhando aos acontecimentos mundanos, corruptos, depredatórios, insanos, egocêntricos, enfim, uma longa lista do que podemos encontrar em cima de púlpitos...

Entretanto, uma coisa é certa, não podemos ficar calados, outra certeza é que, graças a Deus, a cada dia vamos adquirindo entendimento da Palavra de Deus e podemos ser testemunhas do cumprimento das Sagradas Escrituras, pois, o que por aí visualizamos, nada mais é do que cumprimento da fiel Palavra de Deus, "Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te." (2Timóteo 3.1-5), assim, devemos ao testemunharmos tais vândalos eclesiásticos, seguir o mandamento de nosso Senhor, "DESTES AFASTA-TE".

Aliás, o que por aí chamam de ‘igreja’, jamais será o que nosso Amado Salvador proclamou em Mateus 16.18, “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;”.

Fraternalmente.
James.
www.jesusmaioramor.blogspot.com

james disse...

Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo, irmão Junior.

Ainda, gostaria de também indicar o post de nosso irmão Agnaldo Gomes, que, segue a mesma linha de raciocínio deste texto.

http://www.despertaigreja.com/2008/09/escndalos-na-igrejao-que-fazer.html#comments

Fraternalmente.
James.
www.jesusmaioramor.blogspot.com

Junior disse...

Grande Agnaldo!

Seu comentário foi muito oportuno.
Urge que tenhamos sabedoria vinda do céu para não naufragarmos neste mar de imundícias eclesiásticas.

No amor de Cristo,
Junior

Junior disse...

Paz James!

Devemos tomar para si este conselho de Paulo à Timóteo.
Nos mantermos afastados destas imundícias sem compactuarmos com ela que é o nosso desafio.

Fraternalmente,
Junior

Amanda Simões disse...

A Paz de Cristo Junior!

Comecei a ter essa experiência quando passei a pesquisar o universo evangélico, para poder concluir um projeto de pesquisa, que envolve a AIDS e as Igrejas Evangélicas. Às vezes repugnante de ler e ouvir, pois é difícil acreditar que ainda existem pastores que “pensam” de forma tão errada e classifica uma doença como “o fim”, como uma sentença de morte, chegando ao ponto de expulsar membros de suas Igrejas, alegando que para esse tipo de pecado não tem perdão!
Sabemos que tudo depende do contexto e do bom senso, mas acima de todas as coisas, que Jesus Cristo não veio a esse mundo para condenar ninguém à morte, pelo contrário, Ele nos trouxe VIDA!

Recentemente soube de um caso que me deixou profundamente envergonhada. Uma irmã tentando estacionar seu carro no pátio da Igreja, pediu ao segurança que tirasse uma cadeira que estava na frente de uma determinada vaga. Quando ele informou que não poderia tirar, pois havia recebido ordens para que ninguém estacionasse naquele lugar, ela prontamente disse: “com quem você pensa que está falando?” Ele ficou sem reação, apenas disse que estava cumprindo ordens (...).
É triste demais, e isso me faz refletir e pensar sobre essa “cultura cristã” que está sendo anunciada e praticada. Como as pessoas podem dizer que são servas de Deus e não respeitam o seu próximo, sem falar no amor que há essas horas deve ter ficado em casa escovando os dentes. E o sacrifício de Jesus Cristo e seus ensinamentos, onde mora?

Um evangelho de “positivismo” aliado aos interesses de cada um parece ser praticado o tempo todo entre nós!
Que possamos dar o nosso melhor e não nos calarmos diante de tanta distorção cristã.

Louvado seja o nome do Senhor por este post, que revela não apenas uma verdade consoladora, mas um despertar para a nossa caminhada como homens e mulheres de Deus!

Grande abraço,
Amanda <><

Junior disse...

Amanda,

Seu comentário só veio corroborar com esse post.
Infelizmente somos aviltados por esse "evangelho" mercantilista e positivista que são apresentados nos púlpitos das mais variadas igrejas.
Todavia, quando tentamos denunciar esse falso evangelho, somos taxados de rebeldes, por não nos conformamos com esse sistema religioso falido.
Muitos se esquecem que a Reforma Protestante iniciou-se com pessoas insatisfeitas dentro dos arraiais eclesiásticos.
No mais, oremos pela igreja.

Faculdade Evangélica SP disse...

Muito bom o blog, realmente muito instruitivo, vou passar o endereço adiante.
faculdade evangelica

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails