quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Entrevista com Tatiana Malafaia



Em uma riquíssima e impactante entrevista concedida ao Reflexões do Reino, Tatiana Malafaia fala sobre seu 1º CD; realidade da música gospel; realidade da igreja; entre outros assuntos. Vale a pena conferir este edificante e satisfatório bate-papo.
.
Tatiana é casada com Fabiano Malafaia Macedo e congrega na Assembléia de Deus em Jacarepaguá, liderada pelo Pr. Gilberto Malafaia. Seu serviço ao Reino de Deus divide-se entre as áreas de Educação e Música. É psicóloga clínica, professora de Psicologia Geral do Seminário Teológico Shalom, comentarista da revista de Escola Dominical Tudo a Ver com Jesus, destinada aos adolescentes de 12 a 14 anos, da Editora Central Gospel. Já lecionou para adolescentes na EBD e participou de trabalhos em comunidades carentes. Na área musical, fez parte do ministério de louvor de sua igreja e canta em corais desde o início da adolescência. Recentemente, gravou seu primeiro CD, Creio em Ti, pela Central Gospel Music, que traz seis músicas de sua autoria.

Reflexões do Reino: Conte-nos como foram as experiências que antecederam a gravação do CD Creio em Ti. E quais são as suas expectativas depois do lançamento?

Tatiana: Gravar um CD nunca foi um sonho pessoal. Sempre gostei de estudar e pensava em dar prosseguimento à minha profissão como Psicóloga. Também gosto muito de dar aula, por isso, já sonhava com o Mestrado e o Doutorado, para lecionar em Universidades. Quando comecei a namorar meu esposo, que é Oficial da Marinha do Brasil, imediatamente acalentei a idéia de ingressar na carreira militar. Eu tinha certeza que seria o melhor para nós dois! Mas, Deus tinha outros planos pra mim. Ele me falou que, um dia, eu gravaria um CD. Eu me achava inadequada para isso! Não me via encaixada no perfil de cantora gospel. Com o tempo, o Senhor trabalhou no meu coração, eu aceitei a vontade de Deus e hoje estou aqui, à disposição dEle. Espero que este CD seja tudo aquilo que o Senhor me prometeu: um canal para abençoar vidas e conduzir almas a Cristo.

Reflexões do Reino: Sabemos que o louvor tem seu devido poder sobre a vida dos fiéis, e até mesmo na preparação da pregação da Palavra de Deus. Como você observa a qualidade da música evangélica brasileira? Tem sido relevante no seio da igreja ou tem sido somente entretenimento?

Tatiana: Penso que a música tem alcançado um espaço e uma atenção em nossos cultos muito maiores do que lhe é necessária. O louvor tem adquirido um status mais poderoso que o da Palavra de Deus, a ponto de muitos afirmarem que o louvor liberta. Não concordo. Creio que a Palavra ministrada na forma de música, essa sim, liberta! (Jo 8.32). Melodia emotiva, harmonia perfeita e ritmo contagiante sem respaldo bíblico não passa de nuvem sem água. Meus ouvidos doem por causa de certas músicas, totalmente desprovidas de inspiração divina, propagadoras de falsas promessas, de um falso Evangelho. Muitas dessas não têm o propósito de adorar a Deus, mas sim de proporcionar ao cantor uma oportunidade de testar seu IBOPE, fazendo o povo dar glória ainda que o conteúdo seja contrário à Palavra. Em contrapartida, agradeço a Deus porque também ouço muitos louvores ungidos, entoados por servos de Deus, que são fiéis ao chamado que o Senhor lhes confiou, que pensam em agradar somente a Ele, e não à platéia.

Reflexões do Reino: Quais são os cantores que você admira e se espelha?

Tatiana: Aprendi com minha sogra que a palavra ministrar, na Bíblia, tem a mesma raiz que a palavra servir. O que me fascina num cantor é sua postura como verdadeira adoradora do Senhor, a unção que é manifesta em sua vida, a simplicidade e a humildade com que trabalha para Deus. Gosto de muitos, mas vou resumir. Da turma masculina, gosto do Nani Azevedo, do Lázaro, do Marquinhos Gomes. Entre as mulheres, gosto das músicas da Eyshila, da Flávia Afonso e da Ana Paula Valadão.

Reflexões do Reino: Muito se fala a respeito da falta de conhecimento do povo de Deus; que somos um povo ignorante e outros adjetivos pejorativos. Falando agora como professora, como tens visto a realidade das EBD’s e dos seminários teológicos?

Tatiana: Percebo que, basicamente, duas motivações atraem as pessoas ao Seminário: aquisição de conhecimento e/ou a aquisição de um diploma. O fato é que muitos alunos chegam despreparados, sem o conhecimento necessário para realizar o curso, que possui exigências de um curso de nível superior. Não há rigor na seleção dos alunos, até porque se houvesse poucos entrariam, devido a tamanha falta de preparo. Isso contribui para que haja um desnível de conhecimento entre os alunos da turma, o que gera um desnível de interesses. O aluno que conhece mais, busca um conhecimento maior ainda. O aluno que nada sabe, contenta-se com a superfície, pois até isso é novidade para ele. Esse desnível divide o professor, que acaba não se aprofundando muito em certos temas para não prejudicar os alunos mais atrasados. Muitos desses também encaram o Seminário como uma “obrigação”, e não um prazer, mostrando-se desinteressados. Isso desmotiva o professor que, ciclicamente, desmotiva o aluno.
Quanto ao ensino nas EBD’s, creio que o principal problema é o fato de a liderança incumbir para esta tarefa pessoas despreparadas didaticamente, não dedicadas ao ensino, que não tenham aptidão, vocação, sensibilidade, que não se identifiquem com o trabalho e/ou não possuam conhecimento bíblico sólido.

Reflexões do Reino: Alguns estudiosos e críticos dizem que a igreja está passando por uma crise de identidade. Os mais otimistas dizem que estamos conquistando o Brasil para Cristo. Em sua opinião, estamos em um avivamento ou em uma crise?

Tatiana: Nem todos estão avivados, assim como nem todos estão em crise. Qual dos dois lados está ganhando? Prefiro utilizar-me da lógica: se a grande maioria estivesse inserida em um autêntico avivamento (aquele que nos faz crescer na graça e no conhecimento de Deus, através da Sua Palavra, em comunhão uns com os outros): o mundo ficaria pequeno para tantos missionários disputando o campo; a janela 10-40 teria seus dias contados; haveria poucos doentes nos hospitais, para tantos crentes dispostos a fazer-lhes a oração da cura; as gráficas não dariam conta das encomendas de folhetos para evangelização, pois os grupos de visita cresceriam cada vez mais; nunca mais se ouviria que um crente está passando necessidade, pois não faltaria gente disposta a supri-las; o pastor seria obrigado a construir cada vez mais congregações e prédios anexos para obra social, pois não teria onde investir tantas ofertas num único templo; nunca mais ouviríamos alguém dizer que vive da obra, mas sim para a obra; a Igreja nunca mais temeria a ação dos governantes, pois por causa da oração constante do Seu povo, Deus inclinaria os seus corações para o bem que quisesse realizar. É o que penso.

Reflexões do Reino: De tantos problemas que a igreja do séc. XXI tem enfrentado, qual o maior que você destacaria?

Tatiana: A valorização da imagem, em detrimento da realidade, tem assolado a vida de muitos crentes. Por exemplo, eles se endividam, compram carros, casas, roupas caras, para passar a imagem da prosperidade. Pregador bom é o que sapateia e manda a igreja “dar glória”. O povo prefere pregadores carismáticos, com presença de palco, que operam milagres e prodígios, mesmo que o tal leve uma vida de pecado. Se o irmão é fiel, verdadeiro servo de Deus, prega a Verdade, mas não leva a platéia ao delírio, não serve. Os crentes têm sido tentados a abraçarem uma vida ilusória, onde o “parecer ser” é mais importante que o ser, de fato.

Reflexões do Reino: Sabemos que a Europa foi o berço dos grandes avivamentos existentes na história, mas infelizmente, hoje vivem em decadência espiritual. Hoje grandes templos que viram grande fervor espiritual são museus e até mesmo bares e restaurantes. Você acha que o Brasil pode chegar ao mesmo declínio ou ainda há esperanças?

Tatiana: Creio que não, porque mesmo com tantos desafios à nossa vida espiritual, temos visto remanescentes que não se curvam. Graças ao Senhor temos homens de Deus que falam sem temor a Palavra de Deus, para toda a nação escutar.

Reflexões do Reino: Tatiana, foi um prazer ter você aqui no Reflexões do Reino. Deixe um recado para nossos leitores.

Tatiana: É tempo de lutarmos pela nossa fé, combatermos o ativismo, dedicarmos nossas vidas a Deus, anunciando o Evangelho a toda criatura e preparar-nos para a vinda do Senhor Jesus! Oro para que os joelhos vacilantes sejam fortalecidos, em nome de Cristo!

4 comentários:

Miriam Reiche disse...

Que o Senhor continue abençoando a sua vida, Junior, pois vc tem utilizado esta ferramenta com muita propriedade e contribuído para a nossa edificação. Parabéns!

Junior disse...

Obrigado Mirian pelas palavras motivadoras.
Sua presença aqui sempre enriquece nosso espaço.

Graça e Paz.

Martins disse...

Júnior,
Parabéns pela entrevista.

Tatiana,
Ótimas reflexões.

Você resumiu tudo o que penso:

"O povo prefere pregadores carismáticos, com presença de palco, que operam milagres e prodígios, mesmo que o tal leve uma vida de pecado. Se o irmão é fiel, verdadeiro servo de Deus, prega a Verdade, mas não leva a platéia ao delírio, não serve."

Perfeito

Junior disse...

Grande Martins!

Com uma entrevistada desse gabarito fica tudo mais fácil.
Realmente este trecho que vc destacou diz tudo.

Grato por sua rica contribuição,
Junior

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails