quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Dizem por aí

Dizem por aí, que Deus é tão soberano, a ponto de excluir a liberdade humana para fazer o que propôs em Seu coração. Visto que não existiria amor sem liberdade, não me vejo a acreditar nestes pressupostos conceitos de “soberania”.

Dizem por aí, que incondicionalmente, Deus escolhe seus eleitos para vida eterna. Visto que as condições impostas por Deus em toda Bíblia dão sempre opções de dois caminhos ao homem (obedecer ou desobedecer), não me vejo a acreditar neste suposto conceito de “incondicionalidade”.

Dizem por aí, que Deus é responsável por tudo que acontece de bom e de ruim. Visto que esse conceito irrevogável da responsabilidade de Deus o coloca culpado de tudo, não me vejo a acreditar neste fatalismo “muçulmano”.

Dizem por aí, que todos aqueles que disserem “sim” a um apelo de aceitar a Cristo como seu Salvador, terá sua morada garantida no céu. Visto que nem todos que dizem “sim” ao apelo passam realmente por uma metanóia, me vejo a não acreditar nestas supostas conversões em massa que temos visto em tempos modernos.

Dizem por aí, que Jesus Cristo foi apenas um grande homem iluminado. Visto que a transformação de minha vida se deu única e exclusivamente pelo poder de sua ressurreição, me vejo a acreditar que Jesus Cristo foi tanto um homem iluminado, como o Deus único e verdadeiro.

Dizem por aí, que "quem tem promessa não morre". Visto que o escritor aos hebreus salienta que “todos estes (os heróis da fé do AT), tendo sido testemunho pela fé, não alcançaram a promessa”, me vejo a não acreditar nestes clichês dos pregadores atuais.

Dizem por aí, que "quem não faz barulho está com defeito de fabricação". Visto que não consigo enxergar o apóstolo Paulo, ou até mesmo Jesus, gritando, sapateando ou marchando no poder, me vejo a acreditar que muitos pentecostais foram fabricados por pseudolíderes que apresentam distúrbios em suas exegeses bíblicas.

Dizem por aí, que dinheiro, fama e sucesso, são sinais da benção de Deus. Visto que Jesus foi pobre e não tinha onde reclinar a cabeça, me vejo a não acreditar nas supostas profecias destes profetas da famigerada teologia da prosperidade.

Dizem por aí, que se o Espírito Santo fosse retirado da igreja, 90% das atividades eclesiásticas iriam continuar a acontecer normalmente como se nada tivesse ocorrido. Visto que isso é algo estarrecedor, sou obrigado dar crédito a este dado, orando em todo tempo, para que tenhamos sensibilidade de perceber isso em nossas vidas.

Tantas coisas dizem por aí, mas prefiro ficar com o Evangelho genuíno apresentado nas páginas das Escrituras.

8 comentários:

Martins disse...

Ótima reflexão Junior.
É como gosto de dizer: temos que ser guiados pela Palavra de Deus, não por palavras de homens.

cincosolas disse...

Junior,

Escrevi um comentário sobre seu artigo, mas ficou extenso, então publicarei esta madrugada no Cinco Solas: http://cincosolas.blogspot.com

Apreciaria a sua consideração.

james disse...

Graça e paz a vós, da parte de Deus, nosso Pai, e da do Senhor Jesus Cristo, irmão Junior,

Poderíamos escrever páginas e mais páginas em comentários ao seu exímio artigo, mas, para encurtar escrita, e como, sabiamente, preferes ficar com o Evangelho genuíno apresentado nas páginas das Escrituras, assim dizemos:

"Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis; antes o seu entendimento e consciência estão contaminados." (Tito 1.15)

Fraternalmente.
James.
www.jesusmaioramor.blogspot.com

Junior disse...

Grande Martins!

Nada melhor que sermos dirigidos pela Palavra que se fez Carne.

Em Cristo,
Junior

Junior disse...

Clóvis!

Muito bom seu artigo em forma de comentário. Só não quero que fique chateado com minhas colocações que vão de encontro ao seu calvinismo.

No amor de Cristo,
Junior

Junior disse...

Muito boa James!

Agradeço as palavras incentivadoras.
Fiquemos com o Evangelho de Cristo ao invés de ficarmos com o que dizem por aí.

Em Cristo,
Junior

cincosolas disse...

Junior,

Obrigado pelas suas palavras e pode ficar tranquilo que suas declarações não me chateiam. Põem à prova meu calvinismo e me fazem pensar e repensar, por isso te agradeço ao invés de ficar chateado.

Tabém espero que que não se chateie com o que discordo de você. Refiro-me às suas idéias e não à sua pessoa, que amo e admiro. Como sei que é maduro na fé, fico à vontade para listar as poucas coisas que discordo em sua postagens, sendo que parte da discordância pode se dever à minha falta de entendimento.

Discordo de:

1. Dizem por aí, que Deus é tão soberano, a ponto de excluir a liberdade humana... Visto que não existiria amor sem liberdade, não me vejo a acreditar nestes pressupostos conceitos de “soberania”.

2. Dizem por aí, que incondicionalmente, Deus escolhe seus eleitos para vida eterna... não me vejo a acreditar neste suposto conceito de “incondicionalidade”.

3. Dizem por aí, que Deus é responsável por tudo que acontece de bom e de ruim... não me vejo a acreditar neste fatalismo “muçulmano”.

Do restante não discordo, mas assino embaixo. No meu post expressei a minha concordância apenas dando uma ênfase no que eu creio.

E apreciaria muito que apontasse pontos de revisão em meu texto.

Que Deus continue te abençoando e te usando através deste blog, um dos meus favoritos.

Em Cristo,

Clóvis

Junior disse...

Clóvis!

Obrigado por enriquecer este espaço com suas colocações sempre ponderadas.
Minha admiração e respeito por seu blog e sua pessoa são recíprocos.
Estarei colocando um artigo hoje que expressam meus pontos de vista.

Com carinho,
Junior

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails